VÍDEO: RESPONDENDO O “POLITICAMENTE CORRETO”

https://www.youtube.com/watch?v=kC1KezfpHDw

Todos esses radicais islâmicos já foram, um dia, crianças normais, inocentes e puras, como todos nós fomos, mas a covarde, criminosa e hedionda lavagem cerebral nelas processadas por seus mentores religiosos, tornou-as isso que são.

Aliás, como é comum a povos primitivos, bárbaros, selvagens, violentos e supersticiosos, cujos vis anseios humanos invariavelmente são disfarçados como “desejos e mandos de alguma divindade”, o “Uma vez expirados os meses sagrados, matai os idólatras onde quer que os encontreis”, do Alcorão (Sura 9:5), não é muito diferente do “Mas, das cidades destes povos, que o Senhor teu Deus te dá em herança, nada que tem fôlego deixarás com vida; antes destruí-los-ás totalmente”, do Velho Testamento (Deuteronômio 20:16,17), ou do “Quanto, porém, àqueles meus inimigos que não quiseram que eu reinasse sobre eles, trazei-os aqui, e matai-os diante de mim”, do Novo Testamento (Mateus 19:27 – Parábola das Minas).

Todo fanatismo e radicalismo religioso é, óbvia e comprovadamente, abominável, pernicioso, maléfico, prejudicial e insano, um estado de mente anormal, ilusório, fantasioso, obcessivo, compulsivo e reprovável.

Talvez poucos o saibam, mas o verdadeiro cristianismo bíblico, tomado literalmente, é, também, ao contrário do se pensa, bastante radical, quando manda:

– aborrecer (sentir horror, detestar, odiar) pai, mãe, mulher, filhos, irmãos e irmãs (Lucas 14:26);
– deixar os mortos sepultarem os seus próprios mortos (Mateus 8:22);
– deixar casa, irmãos, irmãs, pai, mãe, filhos e propriedades (Mateus 19:29);
– cortar mão, pé e arrancar o olho para não ser lançado no inferno (Mateus 18:8,9);
– vender tudo o que se tem e dar aos pobres (Mateus 19:21);
– oferecer a outra face, nunca revidando (Mateus 5:39);
– dar e emprestar a qualquer que pedir (Mateus 5:42);
– amar, fazer o bem e bendizer aos inimigos (Lucas 6:27,28);
– ter plena confiança na proteção e paternidade divinas, em nada se preocupando com o futuro, sem fazer provisões, poupanças, seguros ou planos de saúde, pois tudo comodamente “cairá do céu” quando necessário (Mateus 6:19-34, Salmos 23 e 91);

ou, dizendo que:

– os ricos estão condenados ao inferno (Mateus 19:24);
– Jesus não veio trazer paz à terra, mas espada, pondo em dissensão o homem contra seu pai, a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra, sendo que “os inimigos do homem serão os da sua própria casa.” (Mateus 10:34-36);
– os efeminados e os “sodomitas”, por terem culpa em optar conscientemente por essa condição, não herdarão o reino de Deus (1 Coríntios 6:9), e;
– as mulheres devem ser dominadas, submissas ao homem e consideradas inferiores e sem privilégios (1 Coríntios 11:8, 14:34,35, Efésios 5:23 e 1 Timóteo 2:12,15).

Alguém segue, concorda e aceita integralmente, dessa forma, o evangelho cristão e a Bíblia, tida por “palavra de deus”, ou o que se vive é apenas um semi-evangelho, um semi-cristianismo, filtrando e aproveitando o que convém, interessa e apraz, desprezando e pondo de lado o restante?

Concluíndo: “biblicamente” falando (não que eu concorde com isso), não há meio termo. Ou se é radical e se leva tudo aquilo a sério, ao pé da letra, ou não se é verdadeiramente cristão, enganando-se a si mesmo e aos outros.

E para aqueles que ainda possam continuar achando que, ao contrário, o cristianismo é uma religião boazinha, de amor, compaixão e completamente diferente, se comparada ao radicalismo islamismo, vale lembrar, nesses dois mil anos de história – e não somente da parte da Igreja Católica -, os horrores e atrocidades da inquisição e da caça às bruxas, aos hereges e aos homossexuais, na Era das Trevas, com incontáveis inocentes que foram covardemente queimados vivos e mortos por verdadeiros monstros desumanos, de um radicalismo não muito diferente desses grupos islâmicos, baseados em “textos inspirados” como: “Não permitirás que viva uma feiticeira” (Exodo 22:18) e “Se um homem se deitar com outro homem, como se fosse com mulher… certamente serão mortos” (Levítico 20:13).

A regra é, sempre foi e será, seguir cega e literalmente os escritos reputados por “sagrados” – atos esses tidos por “virtuosidades” -, que valem mais do que a vida e sentimentos de pessoas, a despeito do bom senso, do discernimento, da lógica, da racionalidade, do sentimento, da empatia e do humanismo.

E, admirável, absurda e incrivelmente, alguns cristãos espalhados pelo mundo afora, mesmo hoje, têm a coragem e o falso pudor de sentir “saudades” daquela vergonhosa e repudiada época de ódio, desumanidade e preconceitos, desejando mesmo que ela voltasse!

“Em religião, o ódio, o preconceito e a ambição são os motivos; os deuses, a máscara e a conveniente desculpa”!

Anúncios

Sobre Irineu Costa Junior

Ex-fanático religioso (evangélico por cerca de 30 anos), hoje ateu militante contra as religiões, igrejas, líderes religiosos e superstições em geral, a favor e defensor da ciência, da lógica, da razão e do bom senso.
Esta entrada foi publicada em Religião. ligação permanente.

14 respostas a VÍDEO: RESPONDENDO O “POLITICAMENTE CORRETO”

  1. Sidney diz:

    Mais uma vez o artigo é claro, prático. Tá tudo escrito na Bíblia, mas os “cristãos” só seguem o que convém, os líderes cristãos usam o que querem e ignoram o resto, fala que não há mais a literalidade, a literalidade é ao gosto deles, o resto são metáforas.
    Parabéns Irineu pelo brilhante texto.

  2. Enelia diz:

    Textos bíblicos foram citados fora do seu contexto dando margem a interpretação que o autor pretendia para embasar seu tema. Portanto, considero o artigo tendencioso e agressivo, uma vez que suscita no leitor o mesmo ódio que ele mesmo diz abominar.
    Não se esqueça que o ser humano tem um lado negro e que uma vez com algum poder, seja político ou religioso, ele pode agir para o bem ou para o mal. Foi assim com grandes impérios, com o nazismo alemão, com a china vermelha, com os japoneses, com os líderes católicos principalmente na idade média, com os extremistas muçulmanos.
    Qual o problema real? não é a religião em si, somos nós os humanos, que destruímos tudo e todos e gostamos de subjugar e apontar o dedo. Destruímos inclusive o nosso planeta e destruímos principalmente com nossa língua e com os dedos quando escrevemos.

    • Enelia,

      Concordo plenamente com você, quando fala sobre o lado negro do ser humano! É exatamente isso!

      Mas, como demonstrado pela própria história (as inquisições e caça às bruxas medievais, as cruzadas, o 11 de setembro, o descaso com direitos humanos dos países teocráticos muçulmanos, etc), vemos como o radicalismo religioso cega de tal forma as pessoas, neutralizando seus bons sensos e suas empatias naturais, exacerbando aquele “lado negro” e enchendo-as de ódio de tal forma, que, em nome de uma divindade, são cometidas as mais frias, hediondas e perniciosas desumanidades e atrocidades. O Velho Testamento está recheado delas!

      Como disse – logicamente, sem generalizar – os cristãos, como listado nos exemplos acima, mesmo crendo num evangelho que manda “amar ao próximo como a si mesmo”, “amar aos inimigos”, “bendizer aos que vos perseguem”, “não resistais ao perverso” e “dar a outra face”, não são exceção à regra, tendo, também, no passado, cometido atos vergonhosos e desumanos contra seus semelhantes, em nome de seu Deus.

      Mesmo hoje, vemos, da parte de cristãos, exemplos de intolerância com homossexuais, discriminando-os, marginalizando-os e tolhendo-lhes direitos assegurados pela Constituição Federal.

      O outro ponto, no meu entender, é que o cristianismo bíblico, tomado literalmente, é radical. Não se encontra apoio para cristãos “não praticantes” ou “de banco de igreja”, mas engajados e militantes, deixando de lado laços familiares, bens materiais e riquezas, para dedicar-se de “corpo e alma” ao reino de Deus, totalmente dependentes da provisão divina, e não amparados em seguranças humanas, como fizeram os cristãos primitivos, conforme registrado no livro de Atos dos Apóstolos.

    • Sidney diz:

      Respeito sua opinião Enelia, mas o texto do Irineu é claro, lógico, aponta para o que está escrito na Bíblia e não é seguido. Os extremistas, fanáticos, não cumprem a Lei maior ditada na Bíblia que é o Amor, exercendo a intolerância, perseguições, discriminações.
      Apontar os erros, contradiçõoes, as passagens sangrentas e covardes da Bíblia, passagens essas ditadas pelo próprio Deus é ser tendencioso e agressivo?
      Sugiro eliminar todas contradições, erros, discriminações da Bíblia toda e ver o que sobra.
      O autor texto educadamente apontou os desvios, os erros, as manipulações.
      Se voce acha que o texto é tendencioso, por favor aponte onde foi citado fora de contexto, onde é para se entender a Bíblia pela literalidade e onde é figurativo.

      • Enelia diz:

        Apesar de saber (e respeitar) a opinião e convicções tanto do autor quanto dos comentaristas, resolvi aceitar o desafio e expor o meu entendimento das passagens mencionadas no texto, faço isso cordialmente e em atenção de outros leitores que passarem por aqui.

        – os ricos estão condenados ao inferno (Mateus 19:24) – Jesus não condenou o rico, condenou o amor a riqueza, e por isso era difícil (não impossível) o rico entrar no céu. Ricos que seguiram Jesus (e não perderam a riqueza por isso): Zaqueu, José de Arimateia, Nicodemos, Joana, e outros

        – vender tudo o que se tem e dar aos pobres (Mateus 19:21): Jesus falou essa frase apenas para uma pessoa: um jovem rico que tinha seu coração na riqueza.

        – Jesus não veio trazer paz à terra, mas espada, pondo em dissensão o homem contra seu pai, a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra, sendo que “os inimigos do homem serão os da sua própria casa.” (Mateus 10:34-36): Espada quer dizer divisão por causa do evangelho de Jesus. O texto deve ser completado com as passagens:
        * “Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e inofensivos como as pombas.Acautelai-vos, porém, dos homens; porque eles vos entregarão aos sinédrios, e vos açoitarão nas suas sinagogas; E sereis até conduzidos à presença dos governadores, e dos reis, por causa de mim, para lhes servir de testemunho a eles, e aos gentios. Mas, quando vos entregarem, não vos dê cuidado como, ou o que haveis de falar, porque naquela mesma hora vos será ministrado o que haveis de dizer. Porque não sois vós quem falará, mas o Espírito de vosso Pai é que fala em vós. E o irmão entregará à morte o irmão, e o pai o filho; e os filhos se levantarão contra os pais, e os matarão.E odiados de todos sereis por causa do meu nome…(Mateus 10:16-22)
        * A História da Igreja mostra o cumprimento dessa palavra, pois muitos cristãos foram entregues pelos próprios amigos e familiares e morreram pela mão do império romano. Ainda hoje isso ainda é verdade, pois muitos quando se tornam cristãos a primeira resistência é dentro de seu próprio lar.

        – aborrecer (sentir horror, detestar, odiar) pai, mãe, mulher, filhos, irmãos e irmãs (Lucas 14:26); a palavra aborrecer (miseo em grego) tanto quer dizer ‘detestar’ quanto ‘ser detestado’.

        – deixar casa, irmãos, irmãs, pai, mãe, filhos e propriedades (Mateus 19:29); Essa passagem não ensina isso, mas Jesus diz que não será em vão quem fizer: “E todos os que tiverem deixado.. por minha causa”. Exemplo recente mundialmente conhecido: Madre Teresa que renunciou, abriu mão de tudo para servir ao necessitado.

        – os efeminados e os “sodomitas”, por terem culpa em optar conscientemente por essa condição, não herdarão o reino de Deus (1 Coríntios 6:9): o entendimento cristão é que Deus fez homem e mulher para formarem uma família, a contradição a esse ensinamento leva a uma consequencia. Porém, nenhum cristão genuíno discrimina a pessoa em si, apenas nao concorda (pacificamente) com o ato. O cristianismo também é uma opção e quem quer abraçá-lo (livre arbítrio) implica em renúncia.

        – as mulheres devem ser dominadas, submissas ao homem e consideradas inferiores e sem privilégios (1 Coríntios 11:8, 14:34,35, Efésios 5:23 e 1 Timóteo 2:12,15). Jesus foi a pessoa que mais privilegiou as mulheres assim como a Igreja primitiva. Várias mulheres foram líderes (Priscila, Dorcas e outras), coisa impensável para o judaísmo e a sociedade da época. Outro detalhe é a questão cultural, onde a sociedade (grego-romana além dos judeus) as mulheres deveriam se retirar quando havia assuntos públicos a serem tratados. A sociedade não via com bons olhos quando a igreja violava esse costume. As cidades de Corinto e Éfeso eram tipicamente gregas. Nas outras comunidades cristãs não havia esses problemas e as mulheres exerciam lideranças, como Priscila.
        A submissão da mulher ao homem, não é uma subjugação, mas uma parceria em uma missão comum, Paulo completou com: “Maridos, amem suas mulheres, assim como Cristo amou a igreja e entregou-se a si mesmo por ela.” (Efésios 5:25), esse é o nível de padrão do amor conjugal.
        A submissão também era estendida a todos os cristãos: “Sujeitando-vos uns aos outros no temor de Deus”.

        – cortar mão, pé e arrancar o olho para não ser lançado no inferno (Mateus 18:8,9); o versiculo é entendido com a passagem anterior: “Ai do mundo, por causa das coisas que fazem tropeçar..” (Mateus 18:7). ‘Se a sua mão ou o seu pé o fizerem tropeçar’; ‘E se o seu olho o fizer tropeçar’, trata-se claramente de uma metáfora, Jesus desafia a pessoa a renunciar o pecado ‘cortando na própria carne’, uma expressão muito usada atualmente. O que faz pecar não é o olho, a mão ou o pé, esses são apenas órgãos.

        – oferecer a outra face, nunca revidando (Mateus 5:39); Esse versículo foi um contra-ponto ao ‘olho por olho’, Jesus ensina que não devemos pagar o mal com o mal e sim com o bem, também trata-se de uma metáfora com fins de ensinamento.

        – dar e emprestar a qualquer que pedir (Mateus 5:42); a Bíblia é coesa, ela condena o preguiçoso e também diz que quem nao quer trabalhar também nao come, os ensinamento de Mateus 5 traz reflexão à conduta do cristão ao desapego e compartilhar com o necessitado e dizer não a avareza.

        – amar, fazer o bem e bendizer aos inimigos (Lucas 6:27,28); Jesus ampliou a forma de amar, pois amar nossos amigos qualquer um faz até o homem mal ama alguém, mas amar quem te fez o mal é algo muito diferente. Esse é o padrão de amor que Deus nos ensina e desafia buscar.

        – ter plena confiança na proteção e paternidade divinas, em nada se preocupando com o futuro, sem fazer provisões, poupanças, seguros ou planos de saúde, pois tudo comodamente “cairá do céu” quando necessário (Mateus 6:19-34, Salmos 23 e 91);
        Jesus nunca ensinou a alienação, o propósito dessas declarações é lembrar que existe um Deus que pode suprir nossas necessidades. É um ensinamento de ter fé e não viver ansioso pelas demandas da vida. O mal do nosso século é justamente a ansiedade, que tem trazido doenças como a depressão e síndrome do pânico.

        Paz

      • Sidney diz:

        Perfeito exemplo de caridade cristã, Enelia, eu gostei do seu texto, bem articulado e não ofensivo.
        Oxalá os debates entre ateus e religiosos se pautassem sempre assim.
        Paz.

  3. Enelia,

    Primeiramente tenho a agradecer o seu tom cordial e respeitoso, coisa não muito comum nesses tipos de debate.

    Mas, sobre suas argumentações, tenho a considerar:

    RIQUEZAS:

    1) Alguém já viu um camelo passar pelo fundo de uma agulha? É somente difícil ou, de fato, impossível?

    2) O próprio Jesus exortou:

    – “Não ajunteis para vós tesouros na terra; onde a traça e a ferrugem os consomem, e onde os ladrões minam e roubam; mas ajuntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem os consumem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração. (Mateus 6:19-21), e

    – “Vendei o que possuís, e dai esmolas. Fazei para vós bolsas que não envelheçam; tesouro nos céus que jamais acabe, aonde não chega ladrão e a traça não rói. Porque, onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração.” (Lucas 12:33,34).

    Como se vê aqui, foi para todos os discípulos, e não só para o jovem rico!

    3) Se algum cristão possui riquezas, não deveria reparti-la para ajudar e aliviar o sofrimento de seus semelhantes? Ou é certo ele se julgar merecedor de mais privilégios que outros? Veja o exemplo dos cristãos primitivos:

    – “Todos os que criam estavam unidos e tinham tudo em comum. E vendiam suas propriedades e bens e os repartiam por todos, segundo a necessidade de cada um.” (Atos 2:44,45), e:

    – “Pois não havia entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam terras ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que vendiam e o depositavam aos pés dos apóstolos. E se repartia a qualquer um que tivesse necessidade.” (Atos 4:34,35).

    4) Como pode o amor de Deus estar no coração de uma pessoa (1 João 3:17) que, mesmo sendo rica, vê pessoas, em especial, crianças, morrendo de fome na África e pelo mundo afora, e prefere nada fazer, mas continuar rica? Ou, se já faz alguma coisa, sendo rica, não poderia fazer muito mais? Será que alguém é rico o suficiente para abrandar a fome e o sofrimento de tanta gente e, depois disso, ainda continuar rico? Não é mais provável que suas riquezas acabem bem antes disso?

    SOBRE O RADICALISMO IMPLÍCITO NO EVANGELHO:

    ABORRECER: todas as traduções consultadas dizem “odiar”, e não “ser odiado”. O sentido é que sentimentos para com familiares devem ser relegados e são muito menos importantes do que a dedicação do cristão ao evangelho e ao reino de Deus.

    Pode até não ser uma imposição, mas é o que se mostrou comum naquela época.

    Os apóstolos e cristãos primitivos, segundo relatado, deixaram tudo para segui-lo e fazer a sua vontade.

    O próprio Jesus, segundo ficou registrado, demonstrou esse tipo de radicalismo no tratamento de sua mãe, Maria, e de seus irmãos:

    – “Foi-lhe dito: Tua mãe e teus irmãos estão lá fora, e querem ver-te. Ele, porém, lhes respondeu: Minha mãe e meus irmãos são estes que ouvem a palavra de Deus e a observam.” (Lucas 8:20,21), e, também, quando disse:

    – “Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora.” (João 2:4).

    Essas respostas não parecem soar como malcriadas e demonstrar até desconsideração dele para com seus familiares?

    DEIXAR CASA, IRMÃOS, IRMÃS, PAI, MÃE, FILHOS E PROPRIEDADES

    Podia até não ser obrigatório, mas, há de se convir que era incentivado.

    Abandonar sua casa e seus filhos seria algo radical, ou não? Tal pessoa não seria taxada de irresponsável? No entanto, disse Jesus que ela seria inclusive premiada!

    OS HOMOSSEXUAIS:

    No VT, simplesmente eram mortos! No NT, “não herdarão o reino de Deus”, ou seja, estão condenados ao inferno!

    Os políticos evangélicos e católicos, com base em seus livros sagrados, notoriamente os discriminam e tentam, de todas as formas, impedir seus direitos enquanto cidadãos, assegurados pela Constituição Federal – que não permite qualquer forma de discriminação ou preconceito -, não admitindo que possam se casar e serem felizes ao seu modo.

    Há dispositivos legais que, baseados no que era outrora comumente aceito pela sociedade, ainda se referem ao casamento como uma relação entre “homem e mulher”, os quais, diante da atual conjuntura, certamente deverão ser revistos.

    A homossexualidade não é doença, não é uma escolha ou opção e não é “privilégio” de seres humanos, estando comprovadamente presente na própria natureza em inúmeras espécies de animais.

    Porém, de fato, muitos homossexuais ativistas, num efeito negativo a eles mesmos, extrapolam limites, querendo se impor e até chocar a sociedade nas “paradas gays” e “orgulhos LGBT”, com o que sou de posição que não devemos concordar!

    “Meu direito vai até onde começa o do outro”! Direitos, sim! Baderna, não!

    AS MULHERES:

    Sua posição, logicamente, é a mesma inocentemente defendida por todos os cristãos!

    Mas, analisando a bíblia, temos que, no VT era notória a sua inferioridade, e, mesmo no NT, nas cartas paulinas, todas consideradas “inspiradas”, a coisa não muda muito, sendo evidente o tom machista e misógino dos textos, como se vê em:

    1 Coríntios 14:34,35: “as mulheres estejam caladas nas igrejas; porque lhes não é permitido falar; mas estejam submissas como também ordena a lei. E, se querem aprender alguma coisa, perguntem em casa a seus próprios maridos; porque é indecoroso para a mulher o falar na igreja.”, e

    1 Timóteo 2:11-15: “A mulher aprenda em silêncio com toda a submissão. Pois não permito que a mulher ensine, nem tenha domínio sobre o homem, mas que esteja em silêncio. Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva. E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão; salvar-se-á, todavia, dando à luz filhos, se permanecer com sobriedade na fé, no amor e na santificação.”

    Como defendidos por alguns estudiosos – e eu também concordo com isso -, estes textos provavelmente são “adições”, não representando de fato a posição de Paulo, mas, a partir do momento em que são considerados “palavra de Deus”, não há escapatória, concluindo-se que as igrejas, na verdade, estão vivendo um “semi-cristianismo”, conforme suas conveniências.

    COTAR MÃO, PÉ E ARRANCAR O OLHO PARA NÃO SER LANÇADO NO INFERNO:

    Não que se concorde com isso, mas é o que o texto, analisado friamente, incentiva a fazer.

    Veja, por exemplo, a literalidade do texto abaixo com relação a eunucos:

    Mateus 19:12: “Porque há eunucos que nasceram assim; e há eunucos que pelos homens foram feitos tais; e outros há que a si mesmos se fizeram eunucos por causa do reino dos céus. Quem pode aceitar isso, aceite-o”.

    NÃO RESISTIR AO PERVERSO /OFERECER A OUTRA FACE, NUNCA REVIDANDO / DAR E EMPRESTAR A QUALQUER QUE TE PEDIR / AMAR, FAZER BEM E BENDIZER AOS INIMIGOS / TER PLENA CONFIANÇA NA PROTEÇÃO, PROVIDÊNCIA E PATERNIDADE DIVINAS:

    Os textos bíblicos citados são muito claros, e, proceder daquelas formas, seria nada mais do que o básico esperado dos seguidores de Jesus.

    Como se pode acreditar que Deus é um “pai”, que zela por seus filhos, que é o “médico dos médicos”, e não confiar na sua proteção, providência e cura, tendo que recorrer a recursos materiais e humanos para se ter segurança?

    Desculpe-me a franqueza, mas, se você não vê aqueles mandamentos e exortações como literais, considerando-os “alienação”, só posso concluir que o seu evangelho – como, pelas minhas observações, praticamente o de todos os cristãos – não é outro, senão aquele das “conveniências”: aproveita-se o que convém, e taxa-se de “metáforas” o resto!

    É o evangelho fácil, sem maiores compromissos, de “domingueiros”, porém, sem qualquer ligação ou similaridade com aquele vivido pelos cristãos primitivos.

    Já cri assim por muito tempo, fanatizado, hoje não mais. Mas, para os que crêem na bíblia como a “inspirada, perfeita e infalível palavra de Deus”, das duas, uma: aceita-se tudo literalmente, respeita e obedece, ou se cai fora!

    Ou quente, ou frio! Morno, não serve! (Apocalipse 3:16).

  4. Enelia diz:

    RIQUEZAS:
    1) Alguém já viu um camelo passar pelo fundo de uma agulha? É somente difícil ou, de fato, impossível?
    *** Passar com o camelo pelo fundo da agulha: possivelmente Jesus usou um provérbio da época, cujo significado real, não se sabe ao certo. Existem 3 tentativas para explicar: erro de tradução do grego da palavra camelo, que seria ‘Kamilo'(corda) e não ‘Kamelo’, porém isso é especulação. A 2a era algum lugar nas montanhas cuja passagem ganhou esse apelido ‘fundo de agulha’ e o 3o. seria uma passagem antes ou depois do portão principal da cidade, onde os camelos não conseguiam passar a não ser que fosse descarregado de sua bagagem (a alfândega da época). Seja qual for a real explicação, o fato é de que tratava-se de um provérbio conhecido na época.

    2) O próprio Jesus exortou:
    – “Não ajunteis para vós tesouros na terra; onde a traça e a ferrugem os consomem, e onde os ladrões minam e roubam; mas ajuntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem os consumem, e onde os ladrões
    não minam nem roubam. Porque onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração. (Mateus 6:19-21), e
    – “Vendei o que possuís, e dai esmolas. Fazei para vós bolsas que não envelheçam; tesouro nos céus que jamais acabe, aonde não chega ladrão e a traça não rói. Porque, onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração.” (Lucas 12:33,34).
    Como se vê aqui, foi para todos os discípulos, e não só para o jovem rico!
    *** Para o jovem rico foi uma ordenança mesmo (‘Vá e vende’), mas nas outras passagens foi uma orientação: o de não acumular riquezas, principalmente sem repartir, sem praticar a generosidade.
    A chave para entender essas palavras é a sentença: “Onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração”.
    Essa outra parábola termina de esclarecer exatamente o que Jesus quis advertir sobre viver para acumular riquezas: “E disse: Farei isto: Derrubarei os meus celeiros, e edificarei outros maiores, e ali recolherei todas as minhas novidades e os meus bens; E direi a minha alma: Alma, tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e folga. Mas Deus lhe disse: Louco! esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será? (Lucas 12:18-20)
    “Pois, que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma?” Marcos 8:36
    “Ninguém pode servir a dois senhores; pois odiará a um e amará o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro”. (Mateus 6:24)
    Esse é o ensinamento: o desapego e a generosidade.

    3) Se algum cristão possui riquezas, não deveria reparti-la para ajudar e aliviar o sofrimento de seus semelhantes? Ou é certo ele se julgar merecedor de mais privilégios que outros? Veja o exemplo dos cristãos primitivos:
    – “Todos os que criam estavam unidos e tinham tudo em comum. E vendiam suas propriedades e bens e os repartiam por todos, segundo a necessidade de cada um.” (Atos 2:44,45), e:
    – “Pois não havia entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam terras ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que vendiam e o depositavam aos pés dos apóstolos. E se repartia a qualquer um que tivesse necessidade.” (Atos 4:34,35).
    *** Na verdade não é só o cristão que deve repartir, somos todos nós.
    É exatamente isso que Jesus ensinou: repartir. Foi o que João Batista pregou antes do início do ministério de Jesus: “João respondia: “Quem tem duas túnicas reparta-as com quem não tem nenhuma; e quem tem comida faça o mesmo”.(Lucas 3:11)
    Esse era o ensinamento do Velho Testamento: “Sempre haverá pobres na terra. Portanto, eu lhe ordeno que abra
    o coração para o seu irmão, tanto para o pobre como para o necessitado de sua terra. (Deuteronômio 15:11)
    “Quando fizerem a colheita da sua terra, não colham até às extremidades da sua lavoura, nem ajuntem as espigas caídas da sua colheita. Deixem-nas para o necessitado e para o estrangeiro. Eu sou o Senhor, o Deus de vocês”. (Levítico 23:22)
    “‘Ora, este foi o pecado de sua irmã Sodoma: Ela e suas filhas eram arrogantes, tinham fartura de comida e viviam despreocupadas; não ajudavam os pobres e os necessitados.” (Ezequiel 16:49)
    Deus sabe que sempre haveria de ter pessoas com menos posses, pois ele não tira o livre arbítrio de ninguém, pois uma pessoa pode ser mais empreendedora do que outra, mais esforçada, mais inteligente, menos preguiçosa, e por essas atitudes é normal serem mais prósperas. Porém não é por causa disso que se deve fechar a mão para quem não tem a mesma atitude. No VT há várias passagens de condenação para vários povos por não obedeceram esse princípio que é para todos, independente de ser ou não cristão.
    Quanto as passagens de Atos é simples: Os cristãos daquela época tinham convicção (embora Jesus não tenha dito quando voltaria) de que Jesus voltaria na época deles. O próprio apóstolo Paulo em algumas ocasiões se incluiu no arrebatamento. Na eminência da volta de Jesus, porque se preocupariam com bens terrenos? Esse foi o entendimento deles naquela época. Em outra ocasião os cristãos repetiram esse procedimento: na virada do 1o milênio.
    Nessas duas vezes foi uma decisão dos homens e não uma ordenança de Jesus.

    4) Como pode o amor de Deus estar no coração de uma pessoa (1 João 3:17) que, mesmo sendo rica, vê pessoas, em especial, crianças, morrendo de fome na África e pelo mundo afora, e prefere nada fazer, mas continuar rica? Ou, se já faz alguma coisa, sendo rica, não poderia fazer muito mais? Será que alguém é rico o suficiente para abrandar a fome e o sofrimento de tanta gente e, depois disso, ainda continuar rico? Não é mais provável que suas riquezas acabem bem antes disso?
    *** Meu irmão, para ajudar o necessitado não precisamos ser ricos. Não serão só os ricos que não repartem que serão julgados, mas qualquer um de nós que tiver ‘duas túnicas’ e não der uma delas por avareza, seremos julgados de igual forma. Eu não me eximo desse fato mesmo não sendo rica. A diferença no mundo começa por nós mesmos, muitas das vezes a nossa África mora do nosso lado.

    SOBRE O RADICALISMO IMPLÍCITO NO EVANGELHO:
    ABORRECER: todas as traduções consultadas dizem “odiar”, e não “ser odiado”. O sentido é que sentimentos para com familiares devem ser relegados e são muito menos importantes do que a dedicação do cristão ao evangelho e ao reino de Deus.
    μισεω miseo
    1) odiar, detestar, perseguir com ódio
    2) ser odiado, ser detestado
    (Léxico Hebraico, Aramaico E Grego De Strong)

    Pode até não ser uma imposição, mas é o que se mostrou comum naquela época.
    Os apóstolos e cristãos primitivos, segundo relatado, deixaram tudo para segui-lo e fazer a sua vontade.
    *** De fato muitos deixaram tudo para seguir Jesus, mas muitos não deixaram, há várias pessoas no Novo Testamento que mantiveram suas casas, trabalho, etc, e eram cristãos. O seguir a Jesus deixando tudo é uma opção e livre arbítrio da pessoa. Naquela época era necessário que isso acontecesse, pois o evangelho do Reino tinha que ser anunciado

    O próprio Jesus, segundo ficou registrado, demonstrou esse tipo de radicalismo no tratamento de sua mãe, Maria, e de seus irmãos:
    – “Foi-lhe dito: Tua mãe e teus irmãos estão lá fora, e querem ver-te. Ele, porém, lhes respondeu: Minha mãe e meus irmãos são estes que ouvem a palavra de Deus e a observam.” (Lucas 8:20,21), e, também, quando disse: – “Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora.” (João 2:4). Essas respostas não parecem soar como malcriadas e demonstrar até desconsideração dele para com seus familiares?
    *** Acredito que Jesus tomou outra postura quando iniciou seu ministério, Ele assumiu sua missão e neste momento Ele não era mais, espiritualmente falando, filho de Maria, mas apenas Filho de Deus. Por outro lado, em sua morte, Ele não quis desampará-la, o que indica amor e cuidado: “Ora Jesus, vendo ali sua mãe, e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse a sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho.Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa. (João 19:26-27).
    Obs. João tinha casa para recebê-la e ele tinha deixado tudo para seguir Jesus.

    DEIXAR CASA, IRMÃOS, IRMÃS, PAI, MÃE, FILHOS E PROPRIEDADES
    Podia até não ser obrigatório, mas, há de se convir que era incentivado.
    Abandonar sua casa e seus filhos seria algo radical, ou não? Tal pessoa não seria taxada de irresponsável? No entanto, disse Jesus que ela seria inclusive premiada!
    *** Pedro ‘deixou tudo’ por Jesus, mas não desprezou sua família, exemplo disso está neste versículo: “E Jesus, entrando em casa de Pedro, viu a sogra deste acamada, e com febre. E tocou-lhe na mão, e a febre a deixou; e levantou-se, e serviu-os. (Mateus 8:14-15)
    Outro exemplo: os irmãos Tiago e João (apóstolos), filhos de Zebedeu: “Então se aproximou dele a mãe dos filhos de Zebedeu, com seus filhos, adorando-o, e fazendo-lhe um pedido.(Mateus 20:20). Nessas duas passagens fica claro que não houve nenhum abandono da família.
    Donde se conclui que ‘deixar tudo’ não é somente abrir mão do material, mas colocar o Reino de Deus em primeiro lugar.

    OS HOMOSSEXUAIS:
    No VT, simplesmente eram mortos! No NT, “não herdarão o reino de Deus”, ou seja, estão condenados ao inferno! Os políticos evangélicos e católicos, com base em seus livros sagrados, notoriamente os discriminam e tentam, de todas as formas, impedir seus direitos enquanto cidadãos, assegurados pela Constituição Federal – que não permite qualquer forma de discriminação ou preconceito -, não admitindo que possam se casar e serem felizes ao seu modo.
    Há dispositivos legais que, baseados no que era outrora comumente aceito pela sociedade, ainda se referem ao casamento como uma relação entre “homem e mulher”, os quais, diante da atual conjuntura, certamente deverão ser revistos. A homossexualidade não é doença, não é uma escolha ou opção e não é “privilégio” de seres humanos, estando comprovadamente presente na própria natureza em inúmeras espécies de animais.
    Porém, de fato, muitos homossexuais ativistas, num efeito negativo a eles mesmos, extrapolam limites, querendo se impor e até chocar a sociedade nas “paradas gays” e “orgulhos LGBT”, com o que sou de posição que não devemos concordar! “Meu direito vai até onde começa o do outro”! Direitos, sim! Baderna, não!
    *** De fato a Bíblia condena o ato homossexual, como condena outros pecados sexuais. O Cristianismo, como já disse, é uma escolha e se alguém quiser abraçá-lo há de renunciar o seu ‘eu’. O fato de o Cristianismo condenar o ato não deveria ser visto com tanto ódio, afinal todos, inclusive o homossexual, é livre para viver sua vida como quiser. O que nunca deve haver, de ambos os lados, é desrespeito mútuo enquanto cidadãos que somos. Quanto a direitos civis, não existe o impedimento como relatado por você, os homossexuais já tem seus direitos garantidos (podendo inclusive casar no civil) enquanto cidadãos, e todos estamos debaixo do art 5º da Constituição. Não existe discriminação e preconceito para o cristão genuíno contra a pessoa, apenas não concordamos com o ato. É o mesmo direito que vc tem se ser contra a filosofia cristã, vc é livre para isso, desde que não ofenda.

    AS MULHERES:
    Sua posição, logicamente, é a mesma inocentemente defendida por todos os cristãos! Mas, analisando a bíblia, temos que, no VT era notória a sua inferioridade, e, mesmo no NT, nas cartas paulinas, todas consideradas “inspiradas”, a coisa não muda muito, sendo evidente o tom machista e misógino dos textos, como se vê em: 1 Coríntios 14:34,35: “as mulheres estejam caladas nas igrejas; porque lhes não é permitido falar; mas estejam submissas como também ordena a lei. E, se querem aprender alguma coisa, perguntem em casa a seus próprios maridos; porque é indecoroso para a mulher o falar na igreja.”, e 1 Timóteo 2:11-15: “A mulher aprenda em silêncio com toda a submissão. Pois não permito que a mulher ensine, nem tenha domínio sobre o homem, mas que esteja em silêncio. Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva. E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão; salvar-se-á, todavia, dando à luz filhos, se permanecer com sobriedade na fé, no amor e na santificação.”
    Como defendidos por alguns estudiosos – e eu também concordo com isso -, estes textos provavelmente são “adições”, não representando de fato a posição de Paulo, mas, a partir do momento em que são considerados
    “palavra de Deus”, não há escapatória, concluindo-se que as igrejas, na verdade, estão vivendo um “semi-cristianismo”, conforme suas conveniências.
    *** Já dei meu parecer sobre esse assunto.

    COTAR MÃO, PÉ E ARRANCAR O OLHO PARA NÃO SER LANÇADO NO INFERNO:
    Não que se concorde com isso, mas é o que o texto, analisado friamente, incentiva a fazer. Veja, por exemplo, a literalidade do texto abaixo com relação a eunucos: Mateus 19:12: “Porque há eunucos que nasceram assim; e há eunucos que pelos homens foram feitos tais; e outros há que a si mesmos se fizeram eunucos por causa do reino dos céus. Quem pode aceitar isso, aceite-o”.
    *** Eunucos por causa do reino dos céus: o próprio apóstolo Paulo se fez ‘eunuco’, pois renunciou ao casamento, e conseqüentemente ao ato sexual, para se dedicar ao Reino. É por causa disso, que foi criado, séculos mais tarde, o voto de castidade pela igreja católica.
    ευνουχος eunouchos
    1) superintendente do dormitório, camareiro, mordomo
    1a) no palácio de monarcas orientais que sustentam numerosas esposas, o superintendente das dependências das mulheres ou do harém; ofício ocupado pelos eunucos
    1b) homem emasculado, eunuco
    1b1) os eunucos nas cortes orientais ocupavam-se também de outros ofícios maiores, como o eunuco etíope mencionado em At 8.27-39.
    1c) alguém naturalmente incapacitado
    1c1) para o casamento
    1c2) para gerar filhos
    1d) alguém que voluntarimente abstem-se do casamento
    (Léxico Hebraico, Aramaico E Grego De Strong)

    NÃO RESISTIR AO PERVERSO /OFERECER A OUTRA FACE, NUNCA REVIDANDO / DAR E EMPRESTAR A QUALQUER QUE TE PEDIR / AMAR, FAZER BEM E BENDIZER AOS INIMIGOS / TER PLENA CONFIANÇA NA PROTEÇÃO, PROVIDÊNCIA E PATERNIDADE DIVINAS:
    Os textos bíblicos citados são muito claros, e, proceder daquelas formas, seria nada mais do que o básico esperado dos seguidores de Jesus. Como se pode acreditar que Deus é um “pai”, que zela por seus filhos, que é o “médico dos médicos”, e não confiar na sua proteção, providência e cura, tendo que recorrer a recursos materiais e humanos para se ter segurança?
    Desculpe-me a franqueza, mas, se você não vê aqueles mandamentos e exortações como literais, considerando-os “alienação”, só posso concluir que o seu evangelho – como, pelas minhas observações, praticamente o de todos
    os cristãos – não é outro, senão aquele das “conveniências”: aproveita-se o que convém, e taxa-se de “metáforas” o resto!
    É o evangelho fácil, sem maiores compromissos, de “domingueiros”, porém, sem qualquer ligação ou similaridade com aquele vivido pelos cristãos primitivos. Já cri assim por muito tempo, fanatizado, hoje não mais. Mas, para os que crêem na bíblia como a “inspirada, perfeita e infalível palavra de Deus”, das duas, uma: aceita-se tudo literalmente, respeita e obedece, ou se cai fora!
    Ou quente, ou frio! Morno, não serve! (Apocalipse 3:16).
    *** Já dei meu parecer sobre esse assunto.

    Irmão que Deus o abençoe, cure seu coração magoado e restaure a fé que um dia vc já teve e perdeu ao longo do caminho.
    No amor de Cristo

    • AS MULHERES NA BÍBLIA:

      Seu “parecer” e suas considerações foram apenas superficiais.

      Não há como crer na bíblia como “a palavra de Deus” e desrespeitar o que Paulo instruiu as igrejas, “inspirado pelo Espírito Santo”, sobre a conduta e posição das mulheres.

      Esse, como disse, é o “evangelho das conveniências”!

      A bíblia, tanto o VT quanto o NT, tida por literal, como querem os cristãos, em geral, é visivelmente machista e misógina! Não há o que se discutir!

      E eu, de forma alguma, compartilho dessa posição. Pelo contrário, abomino-a!

      Aplique-se a mesma lógica com respeito aos homossexuais.

      DESMASCARANDO A BÍBLIA E SEU DEUS, JEOVÁ:

      Por favor, nem cite o VT em seus argumentos de defesa! Isso me é irritante!

      O VT está visivelmente recheado das maiores barbaridades, atrocidades, imoralidades, desumanidades, injustiças, crueldades, intolerâncias, homofobia e misoginia, ocultas sob a máscara de “mando de uma divindade”!

      Chamar o VT de livro divino e inspirado é revoltante e uma afronta à dignidade e respeito humanos!

      Nem mesmo é um livro histórico e científico!

      Como pode esse “Deus” ser por vocês considerado o mesmo do NT, vez que suas personalidades nem de longe se coadunam! Vocês acreditam numa divindade bipolar!

      Da mesma forma, considerar a bíblia como “manual para as nossas vidas” e “regra de fé e prática” é algo igualmente degradante.

      Veja, por exemplo, a tremenda discrepância existente em sua bíblia, que, no VT, exatamente em oposição ao NT, quanto mais rica uma pessoa, mais era considerada “abençoada por Deus”! E quem é, de fato, “abençoado por Deus”, não deveria ter “dificuldades” para entrar no “céu”! Não é?

      AS “JUSTIÇAS” E “ATITUDES JUSTIFICÁVEIS” DO DEUS DO VT:

      – Matar os filhos pelo pecado do pai, Acã (Josué 7:24,25);

      – Uma lei cujos cumprimento e penalizações não valiam para todos: o adultério de Davi e Bate-seba (Levítico 20:10);

      – As duas ursas que estraçalharam 42 crianças simplesmente por chamarem Eliseu de careca (2 Reis 2:23,24);

      – A conquista sangrenta e hedionda da terra com genocídios, infanticídios e até a morte despropositada de inocentes animais! (Deuteronômio 7:1; 13:15; 20:16; Juízes 20:48). Menos as virgens (Números 31:18 e 35);

      – Moisés manda apedrejar um homem até à morte simplesmente porque ele recolhia lenha no sábado (Números 15:32-36);

      – Rebeca e Esaú, com a aprovação de Deus, enganam a Jacó, já cego, roubando a primogenitura de Esaú (Gênesis 27);

      – Davi, incitado pelo próprio Deus a fazê-lo (ou teria sido por Satanás? – 2 Samuel 24:1 x 1 Crônicas 21:1. Nem nisso se concorda!), levanta o senso do povo, e este último, o povo, que nada tinha a ver com isso, é penalizado pelo “erro” de Davi com a morte de 70.000 pessoas!;

      – Jeová, o sádico, pede a faraó que liberte o seu povo, mas, ao mesmo tempo “endurece-lhe o coração” para “demonstrar seu poder” (leia-se: arrasar o Egito, matando, ao final, todos os seus primogênitos) (Êxodo 7:3).

      Percebes que, por vezes, o próprio Deus provoca uma determinada situação para depois usar como desculpa para punir? Alguém, em sã consciência, poderia considerar isso algo moral, ético e justo, digno de uma divindade perfeita? Não parece mais atitude de criança birrenta e mimada? Parece algo sério, ou está mais para piada de mau gosto? Quem é tão cego que não percebe tamanho despropósito e falta de lógica!

      “A humanidade raramente (se é que alguma vez) produz deuses superiores a si mesma. A maioria dos deuses tem o comportamento e a moral de uma criança mimada.” (Robert A. Heinlein).

      SOBRE A “PAROUSIA”:

      Ao contrário do que você afirmou, Jesus disse quando voltaria, sim! E seria, mesmo, no tempo daquela geração! (https://irineucostajunior.wordpress.com/2013/11/02/2/).

      Como não se cumpriu, conclui-se que tudo não passou de mais uma invenção humana.

      Provavelmente, o próprio personagem Jesus, da forma como retratado no NT, como muitos acreditam, não passe de uma mera montagem para favorecer os interesses de alguns espertos!

      Veja as inúmeras contradições presentes em sua bíblia (https://irineucostajunior.wordpress.com/2013/11/11/erros-da-infalivel-palavra-de-deus/) e, em especial, nos quatro evangelhos:

      Veja que o evangelho de João, em detrimento dos outros três, é o único que, suspeita e estranhamente, atribui divindade àquele personagem, propositadamente omitindo suas fraquezas humanas, claramente expostas nos demais.

      Palavras tão profundas, marcantes e inesquecíveis que, teoricamente, teriam saído da boca de Jesus, como:
      – “eu e o pai somos um”,
      – “quem vê a mim, vê o pai”,
      – “Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim”,
      – “eu sou o pão da vida”,
      – “eu sou a luz do mundo”,
      – “eu sou a videira verdadeira”,
      – “eu sou a porta”,
      – “eu sou o bom pastor”,
      – “e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”,
      – “O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei”,
      – “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Ajudador, para que fique convosco para sempre”,
      – “Mas o Ajudador, o Espírito Santo a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto eu vos tenho dito”,
      – “E eu lhes dei a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um” – Afirmação encontrada somente em João 17:22, etc.

      Ou, testemunhos como esses:

      – “No princípio era o verbo, e o verbo estava com deus, e o verbo era deus.” – Afirmação encontrada somente em João 1:1,
      – “Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez.” – Afirmação encontrada somente em João 1:3,
      – “Estava ele no mundo, e o mundo foi feito por intermédio dele, e o mundo não o conheceu.” – Afirmação encontrada somente em João 1:10,
      – “Ninguém jamais viu a Deus. O Deus unigênito, que está no seio do Pai, esse o deu a conhecer.” – Afirmação encontrada somente em João 1:18, etc, etc, etc.

      Procure em qualquer dos outros evangelhos e, embora você ache inúmeras repetições de textos de um em outro, como é comum, admiravelmente, não encontrará nada disso!

      Se tais palavras tivessem realmente sido ditas por Jesus, seria possível que todos os demais evangelistas simplesmente esqueceriam de registrar tudo isso? Ou, o que a meu ver é muito mais provável e até óbvio, o evangelho de João foi astutamente forjado justamente para atribuir divindade àquele personagem?

      Ou você não sabe que, no passar dos séculos, houve várias adições e adulterações de textos bíblicos, por diversos propósitos, e outros tantos livros foram escritos em nome de personagens de expressão para defender e apoiar determinadas “doutrinas”?

      Que Deus é esse que não conseguiu inventar uma maneira melhor de perpetuar e propagar “sua palavra”, sua vontade e seu “plano mestre” para a humanidade, a não ser por esse, tão frágil e facilmente corruptível?

      “Se deus quisesse nos enviar uma mensagem, e escritos antigos eram a única maneira que ele poderia pensar em fazer isso, ele poderia ter feito um trabalho melhor.” (Carl Sagan).

      Vosso livro sagrado não é divino, nem “a perfeita e infalível palavra de Deus”, mas, sim, imperfeito, falível, corruptível e humano.

      O que ocorre é que, cegos pelo encantamento, falsos conforto e esperança de uma redenção e de uma vida eterna de felicidade, tudo baseado no subjetivismo e emocionalismo da “fé”, não se consegue e, de fato, nem se cogita querer, enxergar tudo isso!

      A aceitação “pela fé” envolve a mortificação da lógica, da razão, da dúvida, das evidências e do bom senso, e o uso deles seria considerado “sacrilégio”!

      A pessoa de “fé”, tida por virtuosa, segundo este ponto de vista, seria mera e puramente uma pessoa ingênua, facilmente sujeita à manipulação e controle!

      Como eu deixei registrado em https://irineucostajunior.wordpress.com/2013/11/12/minha-experiencia-religiosa-resumida/, enquanto se está lá dentro, envolvido com tudo, engajado, não consegue perceber a lavagem cerebral, o apelo ao emocionalismo, o controle e a manipulação! É tudo muito sutil, imperceptível. Só depois de sair e olhar de fora para dentro, é que nos apercebemos disso.

      Percebes que o real problema não está nas interpretações do que está escrito nos evangelhos, se rico vai ou não vai para o céu, se Deus considera a mulher é inferior ou não, etc, tudo perda de tempo, mas na base, no frágil alicerce do cristianismo: a inspiração, perfeição e infalibilidade da bíblia, a “palavra de Deus”, facilmente derrubáveis?

      Assim como medicação para febre, concetram-se e dispendem-se tempo e esforços no efeito, mero paleativo, e esquece-se que o problema real está na causa.

      Já vivi e passei por tudo isso, mas, num processo de décadas, estudei, refleti, conscientizei-me, enxerguei, libertei-me, saí, estou satisfeito, não me arrependo e, por nada, voltarei!

      “Não importa o quão feliz me deixe, se não é verdadeiro, se não é real, muito obrigado. É assim que penso quanto aos deuses e mitos de todas as religiões.” (Francisco Saiz).

  5. Enelia diz:

    Fica em Paz irmão!!

    • Melhor permanecer confortável no “país das maravilhas” a encarar a dura realidade e desafiar a sua fé, não é? Com certeza!

      Poucos têm a coragem de fazê-lo, reconhecendo não ser mais privilegiado ou melhor que todos os outros que não compartilham de suas crenças, e, por um momento que seja, admitir poder, como se pensa daqueles, talvez estar também errado.

      Sei que não é nada fácil e, por muito tempo, como comum a todos os “crentes” de todas as religiões, quer cristãos, quer muçulmanos, quer espíritas, quer testemunhas de Jeová, quer Mórmons, etc, relutei e também permaneci intransigente, inflexível e bitolado em minha posição, até quando comecei a refletir e a pensar por mim mesmo.

      Conselho de amigo: questione, duvide, estude, pesquise e, só depois de um conceito qualquer passar ileso por tudo isso, aceite-o incondicionalmente! Descarte, sem dó, todo o resto!

      Seja feliz!

  6. Corrigindo erro meu, acima, só agora percebido:

    – Rebeca e JACÓ, com a aprovação de Deus, enganam a ISAQUE, já cego, roubando a primogenitura de Esaú (Gênesis 27);

  7. Ana Átman diz:

    Quem disse que a verdade deve ser dita, se pessoas precisam viver no mundo da fantasia?
    Se dedicam mais tempo discutindo a complexidade da vida, do que vivendo simplesmente?
    Se necessitam um deus pro reconhecimento na dádiva e um demônio como bode expiatório no absurdo, simplesmente porque nunca se olharam no espelho?
    Quem disse que a ferida foi feita pro curativo ou a dor pra aprendermos?
    Eu digo: Alguém que morre de medo!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s